Jovem guerreira: a destemida que luta contra o câncer

Jovem guerreira: a destemida que luta contra o câncer

Meu aniversário se aproximava e, com ele, um day-off do trabalho – #sorte. Por fora, eu era empolgação pura, mas, na real, as comemorações daquele ano estavam em segundo plano. Os últimos meses tinham sido puxados, estressantes… Eu precisava me desconectar das redes e me reconectar a mim mesmo. Sabe quando a vida pede, ou melhor, implora pra gente refletir sobre o que estamos fazendo dela?

Às vésperas da folga, desabafei meus dilemas com uma amiga, e acabei seguindo seu conselho: ela me enviou o link da fanpage do Instituto Ronald McDonald, disse que conhecer seus projetos de perto me faria bem; não pensei duas vezes. Curti, dei um print no endereço da Casa Ronald McDonald Campinas e me organizei pra fazer uma visita. Esse seria o presente que daria a mim mesmo naquele ano.

Antes de entrar, respirei fundo. Tinha a impressão de que aquelas crianças e aqueles adolescentes precisavam de mim, por isso, deveria demonstrar força. Acontece que, desde o primeiro momento em que os vi se divertindo juntos nos espaços da Casa, entendi que eu é que precisava deles.

Para quem não sabe, a Casa Ronald McDonald hospeda crianças e adolescentes durante o tratamento de câncer. A maioria vem de lugares distantes, acompanhada de um familiar. Enquanto frequentam o hospital especializado da região, vivem na carinhosamente apelidada “casa longe de casa”, onde podem estudar, brincar, conversar… e acabam formando uma família de convivência, sabe?  

Foi Ana Lívia quem falou dos detalhes; ela me recebeu com seu sotaque mineiro. Aos 18 anos, passava pelo segundo tratamento. Conversamos bastante, foi incrível. Voltei pra casa me sentindo diferente…

Leveza na alma

Com 14 anos, Ana descobriu o câncer. Naquela vez, não teve medo, sentia que as coisas iam dar certo… e deram. Com o diagnóstico precoce e o tratamento de qualidade, ficou bem, mas, aos 17, soube que passaria por tudo mais uma vez – aí se assustou. Estava prestes a enfrentar procedimentos mais agressivos, capazes de consumir suas energias.

Mas nem quando foi internada na UTI, perdeu sua determinação – precisava insistir na vida. Ela respirou fundo, lutou e venceu o medo. Transformou momentos tão tensos em grandes lições, e, pelo visto, a superação só fez crescer seu sorriso.   

Nunca pensei no impossível. Fui persistente na minha fé e consegui sair do hospital com mais força e vontade de viver. Passei a ver a vida de uma maneira mais leve.

Não é à toa que seus amigos a descrevem como “a destemida”.

Inspiração

Ana passou bastante tempo internada, vários dias sem poder andar normalmente, com uma dieta super restrita – sem beber água por 16 dias, consegue imaginar?! Eu não!

Depois de passar por isso, ela se deu conta de que as conquistas estão a cada passo, a cada gole, a cada abraço – nas coisas mais essenciais, como a comida!    

Meu hobbie favorito é cozinhar. Amo preparar bolos ou doces pra receber meus amigos em casa, lá em Perdões, no sul de Minas Gerais. Gostamos de uma boa música e estamos sempre acompanhados de um violão.

Foi engraçado, porque depois desse bate papo, até fomos pegar um copo d’água na cozinha da Casa, rsrs. Chegando à copa, vi que alguns voluntários preparavam os docinhos pro aniversário de um dos hóspedes, que comemora no mesmo dia que eu.  

Como você pode imaginar, rs, acabei tirando uma casquinha na hora do parabéns: à tarde, antes de ir embora, assopramos a vela todos juntos e fizemos os pedidos. O meu? Na verdade, um agradecimento. Fazia tempo que não conversava tanto com alguém! Minha vida não seria mais a mesma… e o bolo? Muuuuito bom!   

DOE ONLINE E COMECE A MUDAR O MUNDO AGORA  

Você pode gostar também de …

4 pensamentos sobre “Jovem guerreira: a destemida que luta contra o câncer

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.