Como ajudar um adolescente com câncer

Como ajudar um adolescente com câncer

Eu sempre fui muito curioso. Quando eu tinha uns 14 anos gostava de assistir filme, passava o dia lendo coisas aleatórias na internet e adorava a rua.

Até hoje gosto de conversar e descobrir histórias malucas das pessoas.

A época da faculdade é muuito legal, mas o primeiro gosto da liberdade é na adolescência.

Minha adolescência foi “ontem”, então quando eu conheci os adolescentes com câncer do GRAACC (Grupo de Apoio ao Adolescente e à Criança com Câncer), em São Paulo, lembrei quantas coisas acabam sendo adiadas… Eles vivem rotinas difíceis muitas vezes seguindo à risca restrições médicas.

Já imaginou como deve ser encarar um desafio como o câncer no meio dessa fase de descobertas?

Como ajudar um adolescente com câncer

Conversando com a Dra. Carla Macedo, especialista em oncologia pediátrica e responsável pelos adolescentes no GRAACC, fiquei sabendo o que muda quando o papo é com eles.

Não há mudança de tratamento, o protocolo de atendimento médico é para a doença, mas existe uma diferença no jeito de cuidar. Imagine só descobrir uma doença como o câncer em uma fase com tantos questionamentos? Fica uma bagunça na cabeça. É preciso acolher com muita paciência e tentar dar todas as respostas que eles precisarem.”

#FicaDica!

Sabendo  disso, trouxe algumas informações que podem ajudar a fazer esse caminho um pouco mais fácil.

Liberdade é um sonho!

Na adolescência a gente aprende a andar com as próprias pernas. Só queremos sair com os amigos, namorar e conhecer coisas novas. Quando esse processo é atropelado pela notícia do câncer é natural que toda a família queira estar mais perto mas nessa fase os adolescentes buscam firmar sua própria identidade.

Eles estão doidos por independência e espaço. Ou seja, mostre que a família está sempre ali, mas deixe que fiquem sozinhos também.

Dúvidas são naturais

Sabe quando a gente corre pro Google para pesquisar sobre uma dor de barriga, dor de cabeça, dor no braço… e aí a Internet dá milhares de respostas, das mais absurdas às mais inovadoras? Os adolescentes fazem isso pra tudo em todo momento. É normal da fase que vivem. Por isso, eles vão perguntar e querer saber o que está acontecendo, responder com atenção ajuda no processo de aceitação da doença.

As mídias sociais são muito importantes para o adolescente. Dar liberdade para eles perguntarem sobre o que eles pesquisaram e leram na internet é fundamental. O diálogo sincero com esses pacientes é essencial.”  – Carla Macedo, oncologista pediátrica.

Ninguém é feliz sozinho!

A amizade é tudo nesta fase da vida, ainda mais quando se enfrenta um câncer. Ajude a manter os amigos por perto. Faça o maior esforço possível para que a rotina não seja totalmente alterada. Amigos, lazer e colégio são partes importantes do crescimento de um adolescente. Procure por projetos como o Escola Móvel, profissionais da educação podem ser uma ponte para a manter a rotina escolar e os amigos.

Enfrentar um câncer é uma batalha muito dura, e às vezes alguns guerreiros as enfrentam muito cedo.

Experimente relembrar sua juventude e tente pensar como seria se, de repente, tudo fosse interrompido…

A empatia é uma ferramenta muito poderosa!

Comentários: 0 / Compartilhar:

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.