Como animais de estimação auxiliam no tratamento do câncer infantojuvenil?

Como animais de estimação auxiliam no tratamento do câncer infantojuvenil?

Muitas doenças, e o câncer é uma delas, requerem um verdadeiro esforço do paciente para lidar com o tratamento e as consequências da doença. Muitas vezes é preciso criar mecanismos de fortalecimento do paciente. Como uma forma de fazer isso, profissionais estão indicando o contato com animais de estimação para levar sorriso e ânimo à crianças e adolescentes com câncer. Você vai conhecer quais são os benefícios dessa convivência.

Os desafios do câncer já começam no diagnóstico. Uma palavra profundamente estigmatizada, ao ouvir o nome câncer sendo pronunciada por um médico a dor, o sofrimento e a perda são as imagens que inundam o pensamento, principalmente dos pais e cuidadores. 

Em seguida, a luta contra o tempo. Os dias se tornam uma corrida para não deixar o tumor se fortalecer. E então começam os tratamentos, e os mais comuns são a quimioterapia e a radioterapia.

Roteiro que também já é muito conhecido. Os efeitos colaterais do tratamento são as  principais características de um paciente oncológico. A queda dos cabelos, a palidez, a fragilidade do organismo, a fraqueza…

Esse processo todo é extremamente difícil para toda família, principalmente quando o paciente é uma criança. Os pais sofrem pela consciência das consequências de todo o percurso até a cura, as crianças pela incompreensão de não poder ser livre como tantas outras.

Nessas condições, é preciso buscar formas de amenizar essa realidade e trazer mais cores, carinhos e sorrisos para o dia a dia. Para isso, muitos profissionais recomendam a companhia dos animais de estimação. Eles são amigos essenciais para a evolução do processo de cura e trazem inúmeros benefícios para bem estar dos pacientes infantis.

Pet Terapia

De acordo com estudos, a presença dos animais ajudam, e muito, no tratamento de doenças difíceis como o câncer. A convivência com os animais afeta positivamente a saúde biológica, emocional, cognitiva e social dos pacientes.

Os principais benefícios são:

1- Aumento da pressão sanguínea que ajuda o corpo a reagir contra o tumor;

2- Ação antidepressiva e ansiolítica;

3- Estímulo à interação social;

4- Liberação da endorfina, hormônio da felicidade.

Essas vantagens terapêuticas trazidas pela convivência com um animal vem sendo observada e aplicada no Brasil desde 1955. A psiquiatra Nise da Silveira identificou melhoras significativas em seus pacientes esquizofrênicos a partir da adoção de cachorros pela instituição de internação coordenada por ela. Essa linda história foi retratada no filme Nise: o coração da loucura. Não apenas os animais domésticos mais famosos, como cachorros ou gatos, possuem esse poder, mas os peixes, os pássaros e até mesmo os animais mais silvestre. O segredo está no estímulo ao novo, ao diferente, ao ânimo pela convivência e proximidade.   

Bono: o cão surfista

O Instituto Ronald McDonald também valoriza o contato com animais como forma de trazer sorriso e amor para o dia a dia das crianças apoiadas pelo Programa Casa Ronald McDonald.

No Rio de Janeiro, o amigão da galera é o Bono. Um cachorro da raça labrador que leva muito carinho para os hóspedes da Casa Ronald. Com sete anos de idade, o cão também é tetracampeão de surfe. Isso mesmo! Bono ficou famoso ao acompanhar o dono, Ivan, nas suas aventuras pela natureza. Agora, além de ser um atleta, ele é voluntário e leva crianças e adolescentes à loucura com tanto carinho e companheirismo.

Seja com animais, com um abraço ou em um dia de brincadeiras, o grande objetivo de tudo isso é tentar tornar a caminhada dessas crianças mais leve. Promover o bem estar delas é um potente remédio!

E aí, que tal encontrar um jeito bem seu de transformar a vida dessas crianças e adolescentes?

Conheças as histórias de voluntariado e entre nessa também! Até o Bono já entrou, só falta você!

Comentários: 0 / Compartilhar:

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.