Retinoblastoma: o primeiro sinal pode estar a um passo da cura

Retinoblastoma: o primeiro sinal pode estar a um passo da cura

Em essência, câncer é o nome dado para um conjunto de doenças que têm em comum a multiplicação rápida de células malignas. Elas crescem desorientadamente afetando o funcionamento de tecidos e órgãos. Existem diferentes tipos de câncer que se manifestam através de sintomas específicos. Este texto vai falar sobre um deles: o retinoblastoma.

Uma das características do retinoblastoma é que sua manifestação mais comum acontece nos primeiros anos de vida. Ou seja, afeta principalmente crianças. O  sintoma mais presente é o aparecimento de uma mancha branca na retina, chamada leucocoria. Geralmente, se destaca quando um flash ou feixe de luz incide na pupila, surgindo um reflexo branco no olho bem parecido ao olho de um gato. Isso acontece porque o retinoblastoma é um câncer que afeta a retina. Não se sabe ao certo se a doença é hereditária ou não, mas o fato é que ela é congênita, o que significa que já está presente desde o nascimento e pode estar relacionada com a formação do organismo.

 

Os primeiros sinais

Por isso é tão importante observar regularmente crianças e adultos em relação ao comportamento e manifestações do corpo. Nosso Guia: Conheça os primeiros sinais que podem indicar o câncer infantojuvenil é bem instrutivo e vai te ajudar a estar bem atento quando o assunto é criança.

Além da leucocoria, o retinoblastoma também se revela através de problemas de visão, estrabismo e até mesmo deformação do globo ocular.

Hoje em dia, já existem diversos exames que fazem parte dos primeiros anos de vida. Eles são feitos na intenção de mapear qualquer deficiência e possibilitar o melhor tratamento o quanto antes. Dentro desse conjunto de exames existe o Teste do Olho Vermelho que, geralmente, é feito na maternidade. Se o seu filho não fez, procure um médico e converse sobre o assunto. Mesmo que que ele tenha passado pela exame, a manifestação do retinoblastoma pode acontecer ao longo dos anos. Sendo assim, em um mundo com tantas câmeras fotográficas, a foto por ser uma ferramenta importante na identificação desta doença.

Você pode conhecer a história da Ana Paula e do Arthur. Ela descobriu o câncer do filho depois dele machucar o olho brincando de bola com os amigos.

 

Qual a melhor maneira de tratar?

Assim como qualquer outro tipo de câncer, o tratamento é o resultado de uma série de análises que atestam todas as características do tumor. A orientação e o acompanhamento dos médicos darão início ao um tratamento multidisciplinar que irá apresentar a prática mais adequada à condição de cada paciente. O método terá sempre como objetivo eliminar o tumor e preservar o globo ocular, para que possa garantir o desempenho pleno da visão depois da luta vencida.  

A boa notícia é que os índices de cura da doença são bastante positivos. A combinação de recursos como quimioterapia, radioterapia e práticas oftalmológicas demonstram eficiência, sendo a enucleação (retirada do globo ocular) necessária apenas em casos mais graves.

É por isso que o diagnóstico precoce cumpre um papel tão essencial para a redução dos índices de morte ou sequelas profundas. Quanto mais cedo o tumor for detectado,maior a chance de redução dos impactos.

 

Conheça os sonhos do Arthur

O Arthur é um garotinho ligado no 220 que saiu lá de Aracaju com sua mãe e foi para São Paulo buscar a cura do retinoblastoma. Sua história de luta está nos capítulos finais, e, agora, ele e sua mãe já podem voltar a sonhar aliviados.

Assista este final feliz!

Comentários: 0 / Compartilhar:

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.