Setembro Dourado: todos juntos pela cura do câncer infantojuvenil

Setembro Dourado: todos juntos pela cura do câncer infantojuvenil

Provavelmente você já ouviu falar em outubro rosa, novembro azul, setembro amarelo, mas e setembro dourado?

Assim como todas as outras, a campanha surgiu para alertar sobre um grande desafio enfrentado pela nossa sociedade.

O Setembro Dourado quer chamar a atenção para o câncer infantojuvenil e, principalmente, para a importância do diagnóstico precoce para aumentar as chances da cura. A ação liderada pela Confederação Nacional das Instituições de Apoio e Assistência à Criança e ao Adolescente com Câncer – CONIACC conta com apoio e engajamento da Rede de instituições parceiras da oncologia pediátrica que de norte a sul do país atuam para disseminar a causa e mobilizar a comunidade para urgência do tema.

Falar sobre câncer infantojuvenil é, sobretudo, falar sobre tempo. O câncer nos mais novos, além de ser confundido com os sintomas de doenças mais comuns, desenvolve-se muito rapidamente. Isso ocorre porque o crescimento da criança estimula o crescimento do tumor. Logo, quanto antes diagnosticado, maiores as chances de cura.

Ao contrário do câncer em adultos, não podemos correlacionar sua ocorrência com fatores externos como atuantes diretos. Para as crianças essa relação não fica muito clara.  É por isso que o diagnóstico precoce é a melhor forma de conter os números alarmantes.

No Brasil, o câncer infantojuvenil é primeira causa de morte por doenças em crianças de 0 a 19 anos. A cada hora, surge um novo caso da doença no Brasil E, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, infelizmente, os números de novos casos tende a aumentar nos próximos anos.

Um fio de esperança!

Há 30 anos as chances de cura eram de apenas 15%, hoje este índice pode alcançar até 80%, se diagnosticado precocemente e tratado adequadamente, no entanto, a média do Brasil ainda é 64%. Um fator que contribui muito com essa mudança é a capacidade de perceber os primeiros sinais da doença e iniciar o tratamento o quanto antes.

O Everton é uma das crianças que mudou a sua história através do programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald. Atendido por um dos profissionais capacitados pelo programa, ele foi rapidamente encaminhado para o hospital oncológico mais próximo para dar início ao tratamento.

O projeto começou em 2008 e desde lá já promoveu a capacitação de 20 mil profissionais de saúde para perceber e encaminhar crianças e adolescente no início da manifestação dos sintomas.

Faça parte dessa corrente!

Divulgue, debata e apoie esta causa. Faça o seu setembro mais dourado! Acompanhe iniciativas como o Instituto Ronald McDonald que faz do seu dia a dia uma linda missão para transformar futuros.

Comentários: 0 / Compartilhar:

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.