Programa Diagnóstico Precoce: 10 anos trabalhando por resultados efetivos

Programa Diagnóstico Precoce: 10 anos trabalhando por resultados efetivos

O Instituto Ronald McDonald trabalha no apoio à luta contra o câncer infantojuvenil. Por meio de quatro programas — Atenção Integral, Casa Ronald McDonald, Espaço da Família Ronald McDonald e Diagnóstico Precoce —, buscamos aumentar as chances de cura das crianças e adolescentes com câncer no Brasil.


Criado em 2008, o Diagnóstico Precoce é determinante na identificação dos sintomas do câncer infantil e juvenil. Hoje, é considerado um dos maiores responsáveis pelos resultados de cura da doença. Se em 1990 uma criança com câncer tinha apenas 15% de chance de cura, atualmente este índice alcança 80% quando diagnosticada precocemente e tratada adequadamente.

Essa questão se torna especialmente relevante quando entendemos que o principal problema do câncer infantojuvenil é o fato de que os sintomas podem muitas vezes ser confundidos com os de doenças comuns como resfriado, alergia ou infecções.


E é nessa lacuna que o Programa Diagnóstico Precoce atua: no despertar do olhar profissional para a checagem completa dos sintomas até a detecção o câncer, ainda no estágio inicial.

Dinâmica do programa

A ação é integrada à estratégia nacional de saúde da família, com o Instituto disponibilizando um edital de participação para cidades com mais de 100 mil habitantes.

Selecionado os municípios, o programa segue em parceria com as Secretarias de Saúde Municipais para mapear as unidades de saúde e os profissionais agraciados. A convocatória para os cursos é destinada a todos os profissionais, sejam médicos, enfermeiros, psicólogos ou fisioterapeutas.

Em 10 anos de atuação, o programa já envolveu 20 instituições, promoveu a capacitação de cerca de 20 mil profissionais responsáveis pela cobertura de mais de 18 milhões de crianças e adolescentes de 1 a 19 anos, em 14 estados do país.

Ou seja, histórias como a de Everton é só uma entre as milhões de crianças que tiveram o futuro transformado pelas ações do Instituto Ronald McDonald.

O treinamento dado aborda temas essenciais não só para o diagnóstico, mas também para a continuidade do tratamento. Por isso, temas como Política Nacional de Oncologia, direitos do paciente, comunicação e psicologia com a família, cuidados de enfermagem e atenção com intercorrências do tratamento são desenvolvidos para o maior número de profissionais da localidade.

A realidade oncológica no Brasil é uma junção de fatores, entre estrutura e aparato tecnológico também há a inexperiência e desconhecimento da incidência da doença na infância.

Ajude-nos a continuar essa luta

Por isso, o Instituto Ronald McDonald dedica esforços para unir pesquisa, capacitação e estrutura que promovam tratamento de qualidade para crianças e adolescentes.

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.