Programa Atenção Integral: um trabalho consistente

Programa Atenção Integral: um trabalho consistente

Trabalhar de forma consistente, com coerência, organização e responsabilidade social deveria ser meta diária em empresas públicas e privadas de grande, médio e pequeno porte. Esta é a missão do Instituto Ronald McDonald. Abaixo falaremos sobre um dos nossos programas: atenção integral.


Nesse contexto tão familiar, observar de perto o funcionamento do Terceiro Setor é “uma boa pedida” para os gestores que buscam inspiração em suas decisões.

Foi algo que funcionou comigo, quando fui apresentado ao Programa Atenção Integral, do Instituto Ronald McDonald.

Objetivo claro, atuação detalhada

O Programa Atenção Integral foi consolidado em 2009, resultado de um levantamento extenso sobre o cenário do câncer infantil e juvenil no Brasil.

Seu objetivo sempre foi claro, apesar de abrangente: destinar recursos a ações prioritárias no combate à doença antes, durante e após o tratamento – e isso envolve diversas frentes de trabalho –, contribuindo para aumentar as taxas de cura da doença em todo o território nacional.

Em outras palavras, se trata do programa responsável por viabilizar realizações, mas vai muito além da distribuição de recursos.

Por meio de quatro linhas de atuação bem delineadas, colabora para dar consistência ao trabalho de todos, preenchendo algumas lacunas importantes, a saber:

  • A) Apoio à qualificação e humanização da assistência de média e de alta complexidade;
  • B) Acesso, redução do abandono e da não aderência ao tratamento;
  • C) Suporte psicossocial e reintegração à sociedade;
  • D) Planejamento Estratégico.

Apoia projetos por meio de editais, como reforma e construção de unidades ambulatoriais, hospitais e casas de apoio, humanização de ambientes, aquisição de equipamentos e veículos para transporte de pacientes, projetos de apoio psicossocial, financiamento de pesquisas, patrocínio de fóruns, congressos, seminários, entre outros.

Compromisso, do macro ao micro

Pelo que pude observar, a luta pela cura do câncer infantil e juvenil no Brasil se dá em várias frentes, o que exige uma postura firme por parte das organizações que a protagonizam – firmeza esta que só é possível quando se sabe o que está fazendo.

É necessário percorrer um caminho emaranhado de muita pesquisa, mobilização, sensibilidade e persistência; uma mistura inteligente de teoria e prática, de um olhar macro e micro, do geral e do minucioso, percebe?

Como resultado, constrói consistência, relevância e propósito; conceitos que todas as empresas deveriam buscar perseguir em cada um dos setores, atividades e área de atuação. Nesse sentindo o Terceiro Setor é um excelente exemplo de inspiração para o mundo corporativo tão focado em lucro e resultados.

Solidez e resultado

Pense bem: as organizações como o Instituto Ronald McDonald seguem em frente, a despeito das adversidades, pois o propósito de alcançar a cura é a prioridade máxima a cada etapa, para todos os envolvidos, a todo momento.

Não é à toa que, desde 2009, o Programa Atenção Integral, por exemplo, já destinou mais de 100 milhões de reais a projetos em todo o Brasil – um apoio significativo a um elenco variado de ações da luta contra o câncer infantojuvenil.

Então eu pergunto: qual é o propósito da sua empresa? Qual é a sua prioridade contínua?”

Quando tudo fica mais claro, executamos tarefas com solidez, as parcerias se tornam possíveis e as respostas chegam – e isso funciona em todos os setores.

Você pode gostar também de …

Publicar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos marcados com um * são obrigatórios.