close.png

Newsletter SignUp

Inscreva-se no nosso eNewsletter para ler histórias inspiradoras de nossas famílias e aprenda como seu apoio ajuda as crianças a se curarem.

  •  
  • Erro

    Não foi possível recuperar seus dados devido a um erro.

  • close.png thank_you.png
    OBRIGADO POR INSCREVER-SE

    Estamos muito satisfeitos por você ter decidido se juntar à nossa família. Hoje, você se juntou a um movimento global que permite que as famílias se concentrem no que é mais importante - o filho doente - enquanto cuidamos do resto!

    Seus amigos na Ronald McDonald House Charities
     

    Transformação digital visa contribuir com o diagnóstico precoce do câncer infantojuvenil no Brasil

     

    Atualmente, no Brasil, as chances de cura do câncer em crianças e adolescentes são de 64%, segundo dados do Instituto Nacional de Câncer, o Inca. Nos países com alto Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), os índices de cura podem chegar a 80%. No Brasil, o câncer ainda é a primeira causa de morte por doença na faixa etária de 1 a 19 anos. Para mudar essa realidade, um dos recursos é a ampla capacitação dos profissionais da saúde e conscientização da sociedade e geral, assim como, a disseminação de conhecimentos sobre a importância do diagnóstico precoce do câncer em crianças e adolescentes. Por isso, a Leap, braço de inovação da KPMG, se uniu ao Instituto Ronald McDonald, criando uma solução tecnológica para contribuir com o diagnóstico precoce e o tratamento de qualidade do câncer infantojuvenil. O projeto recebeu o nome de Hack4 Good.

    A ação tem por objetivo transformar o cenário do câncer infantojuvenil, utilizando a tecnologia para promover o conhecimento e orientar as famílias já nos primeiros estágios. Francisco Neves, superintendente do Instituto Ronald McDonald, destaca que a parceria vai contribuir com a missão da organização de aumentar as chances de cura dos pequenos pacientes oncológicos.

    “O tempo entre a percepção de sinais e sintomas do câncer e a confirmação do diagnóstico são fundamentais para aumentar as chances de cura da doença. No Brasil, esse intervalo ainda é longo, o que leva muitos pacientes a chegarem ao tratamento já em fase avançada da doença, dificultando as chances de cura e os resultados positivos, além do risco de deixar muitas sequelas nos pequenos pacientes. Por isso, essa plataforma vai trazer grandes benefícios para a causa, agilizando processos e transformando o diagnóstico do câncer infantojuvenil”, destaca Francisco Neves.

    Para a criação da plataforma, uma iniciativa focada em “hackear” o câncer infantojuvenil no Brasil, foram investidos 10 meses de pesquisas e trabalho para encontrar soluções para temas como falta de informação sobre a doença, disponibilização de histórico e prontuário para médicos, assim como acolhimento ao paciente e à família. Diante disso, as atividades foram desenvolvidas para dois grandes grupos: médicos e especialistas; e acompanhantes.

    “Automatizamos um checklist de sintomas, criamos fóruns, treinamentos à distância, aplicativo para a família ter acesso a um prontuário digital, bem como outras ações de infraestrutura e suporte aos pais e responsáveis. Tudo isso para agilizar os atendimentos, diagnóstico e tratamento. O conceito ‘anticipate tomorrow, delivery today’, que direciona nossa firma, nunca pôde ser tão bem empregado em um projeto”, destaca o sócio de Inovação e Transformação Digital da KPMG no Brasil, Oliver Cunningham, enfatizando a importância do diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura em crianças e adolescentes.

    Quer ajudar a mudar a vida de milhares de crianças e adolescentes com câncer e saber mais sobre o Hack4 Good? Acesse: https://institutoronald.org.br/hack4good/

    Engajando a Sociedade

    Como parte da estratégia de sensibilização e engajamento da sociedade com o projeto Hack4 Good, a agência de Propaganda e Marketing, DPTO, criou um vídeo que apresenta a plataforma e sensibiliza a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce para aumentar as chances de cura da doença no Brasil. O vídeo foi lançado no tradicional Jantar de Gala do Instituto Ronald McDonald, em 2020, e retrata as alegrias de uma família desde o nascimento de uma criança, até as angústias quando diagnosticada com o câncer infantil. A locução do filme foi feita pelo ator Reynaldo Gianecchini, que venceu a luta contra um linfoma não-Hodgkin. O desenhista e youtuber Ronaldo de Azevedo, do canal Gato Galáctico, que tem mais de 13 milhões de inscritos, assina as ilustrações da obra. A produção ficou a cargo da IMG Content e Squad.

    De acordo com Fran Abreu, CEO da DPTO, essa não é a primeira vez que a agência empresta sua criatividade para ajudar crianças com câncer.

    “Nós já fizemos grandes projetos para o Centro Infantil Boldrini, Hospital do Câncer e Cruz Vermelha, mas é a primeira vez que ao ver o resultado fiquei emocionado por tanto envolvimento e parcerias que conseguimos juntar num objetivo comum”.

    Clique aqui e veja o filme.

    As chances de cura

    No Brasil a chance de sobrevivência média é estimada em 64%. Porém, as chances não são as mesmas em todas as regiões do país. Conforme o levantamento feito pelo Inca, as chances médias de sobrevivência nas regiões Sul são 75% e Sudeste são 70%. Já no Centro-Oeste, Nordeste e Norte elas são 65%, 60% e 50% respectivamente. A cada hora, surge um novo caso de câncer em crianças e adolescentes no país.

    De acordo com a Dra. Carmem Fiori, especialista em oncologia pediátrica, os sintomas do câncer infantojuvenil podem se confundir com doenças comuns da infância. Ela ainda destaca que todos devem se alertar para esses sinais e sintomas e, por isso, é muito importante falar mais sobre a doença.

    “É preciso reconhecer os principais sinais e sintomas para ampliar as chances de cura das crianças e adolescentes e diminuir também o sofrimento e as sequelas do tratamento. A suspeita diagnóstica ainda está aquém do ideal”, completa a especialista.

    No atual cenário da pandemia da Covid-19, o dado se torna ainda mais alarmante visto que pacientes oncológicos costumam apresentar imunossupressão, seja pela própria doença, seja pelo tratamento, o que os tornam mais suscetíveis a infecções, e não podem interromper o tratamento oncológico

    Leia mais no blog

    IRM Histórias

    • overlay

      Mariele Costa da Silva

      X

      A história de Mariele é muito especial, pois ela foi uma das primeiras crianças a usufruir da Casa Ronald McDonald Belém, uma casa de apoio feita com muito carinho para receber pacientes que chegam à capital do Pará para tratamento. Vale lembrar que, segundo dados do Inca (Instituto Nacional d... (Continuar lendo sobre Mariele Costa da Silva)

    • overlay

      JULIA FARIA

      X

      Em 2008, Julia Moreno Faria, hoje com 13 anos (2021), foi diagnosticada com glicogenose hepática 1B. Em 2014, um novo diagnóstico: mielodisplasia. Julia, apesar de ser nascida no Rio de Janeiro, é hospede da Casa Ronald McDonald Campinas, no interior de São Paulo, e ainda continua seu tratamento... (Continuar lendo sobre JULIA FARIA)

    • overlay

      FAMÍLIA NEVES

      X

      A história da Família Neves começou com a história de uma família comum: pai, mãe e dois filhos que viviam no bairro da Tijuca e levavam uma vida tradicional. Trabalho, escola, lazer no Tijuca Tênis Clube e futebol com a torcida pelo Vasco da Gama. Mas esta história começou a tomar um novo ... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA NEVES)

    • overlay

      Maria Vitória Gomes Ferreira

      X

      Maria Vitória tem apenas 11 anos, mas já passou por muita coisa na vida. Quando tinha apenas cinco aninhos foi diagnosticada com um tumor cerebral. Ela teve que mudar radicalmente sua rotina. Saiu do pequeno município de Rio Crespo, em Rondônia, no norte do país, para uma grande cidade com o... (Continuar lendo sobre Maria Vitória Gomes Ferreira)

    • overlay

      JUAN YURE

      X

      Da cidade de Fortaleza, no Ceará, Juan Yure Carneiro das Chagas, com apenas 12 anos, já enfrentou obstáculos que poderiam desestruturar qualquer pessoa adulta. Depois de uma inocente brincadeira entre amigos, Juan descobriu uma alteração no osso femoral. A partir dessa constatação, ele foi di... (Continuar lendo sobre JUAN YURE)

    • overlay

      MACISTER JUSTINO

      X

      Aos 17 anos, com um caderno de desenhos e lápis de cor nas mãos, Macister Junior Justino chegou na Casa Ronald McDonald Campinas, umas das sete unidades do Programa Casa Ronald McDonald em operação no Brasil. O jovem foi diagnosticado com Linfoma de Hodgkin – um câncer no sistema linfático -... (Continuar lendo sobre MACISTER JUSTINO)

    • overlay

      HELOISA GEMELLI

      X

      Em maio de 2017, aos 14 anos, Heloisa Gemelli, de Cascavel, no Paraná, foi diagnosticada com Linfoma de Hodgkin. Seu pai, Alessandro, médico, já havia sido capacitado pelo Programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald (o Programa, em 10 anos, já capacitou mais de 26 mil profissionai... (Continuar lendo sobre HELOISA GEMELLI)

    • overlay

      OSCAR E ANA BEATRIZ

      X

      Ana Beatriz, 19, andava inquieta pelos corredores do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém - PA. Ela não gostava de ficar muito tempo no quarto. Internada para fazer exames relacionados ao Teratoma de Ovário, em 2017, quando conheceu a Vilma, que estava com o filho internado. Ele,... (Continuar lendo sobre OSCAR E ANA BEATRIZ)

    • overlay

      JUAN CARLOS

      X

      Em 2011, aos 10 anos, Juan Carlos de Araújo Moreira foi diagnosticado com câncer: 10 tumores malignos e uma metástase no pulmão. Hoje, aos 18 anos, ele está curado, é estudante de técnico de informática, está no seu primeiro emprego e tem o sonho de estudar fora do país. Juan mora em Campo... (Continuar lendo sobre JUAN CARLOS)

    • overlay

      Vicente e Antônio

      X

      "Eu falo para todo mundo que meu filho foi muito bem recebido na Casa Ronald McDonald Belém. É um lugar muito organizado, que nos recebeu de braços abertos. Estou muito feliz de estar aqui com ele". O relato emocionado é do Vicente Nascimento, pai do Antônio Márcio Nascimento, de 13 anos, q... (Continuar lendo sobre Vicente e Antônio)

    Conheça as

    Famílias

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

    Inscreva-se para receber todas as atualizações do Instituto Ronald McDonald