close.png

Newsletter SignUp

Inscreva-se no nosso eNewsletter para ler histórias inspiradoras de nossas famílias e aprenda como seu apoio ajuda as crianças a se curarem.

  •  
  • Erro

    Não foi possível recuperar seus dados devido a um erro.

  • close.png thank_you.png
    OBRIGADO POR INSCREVER-SE

    Estamos muito satisfeitos por você ter decidido se juntar à nossa família. Hoje, você se juntou a um movimento global que permite que as famílias se concentrem no que é mais importante - o filho doente - enquanto cuidamos do resto!

    Seus amigos na Ronald McDonald House Charities
     

    Tumores germinativos: tipos, sintomas e tratamento

    Hoje em dia, o câncer é a segunda principal causa de morte entre adultos e crianças no mundo (OPAS/OMS).E ao falar sobre câncer é preciso compreender que se trata de um grupo diverso de doenças com um aspecto em comum. São patologias caracterizadas pelo crescimento desordenado de células que invadem tecidos e órgãos.Vamos falar sobre um tipo não muito comum: o tumor germinativo. Saiba mais sobre o tema no post tudo sobre o câncer infantojuvenil.

    Tumores germinativos: disfunção de produção das células reprodutivas

    Os tumores germinativos são disfunções benignas ou malignas. Como o próprio nome diz, afetam as células germinativas, aquelas que dão origem aos espermatozóides e óvulos. Eles podem surgir dentro das gônadas, que nos homens são os testículos e nas mulheres os ovários. No entanto, eles também podem aparecer fora delas e, neste caso, são chamados de extragonadais.

    Os tumores de células germinativas representam 3,3% dos tumores malignos em crianças e adolescentes, sendo considerados raros na infância. Já na adolescência os tumores ovarianos e testiculares costumam ser mais presentes chegando a representar 14% dos tumores malignos dessa faixa etária.

    Como identificar os primeiros sintomas?

    Para perceber os sinais da doença vai depender muito da localização exata do tumor. Por atingir órgãos sexuais, a dor se concentra na região abdominal, podendo ser crônica ou aguda, o que acaba sendo facilmente confundido com outras doenças mais simples e comuns. Todavia, outra observação característica da doença é a puberdade precoce e uma massa palpável na região afetada. O quadro completo desses sinais deve ser um alerta vermelho para a procura de assistência médica.

    Quais os tipos mais comuns?

    Como já falamos, as células germinativas são células que dão origem aos gametas sexuais do organismo humano. Entretanto, elas também podem se estabelecer em lugares diferentes pelo corpo que não necessariamente nos órgãos reprodutivos. Não é o curso normal do desenvolvimento, mas podem ocorrer em parte do tórax, entre o peitoral e a coluna, o cóccix, abdome e pelve. Alguns podem surgir ainda no sistema nervoso central, mas esses casos são mais raros.

    Em 90% dos casos de câncer de testículo a anomalia ocorre em células germinativas, e existem diversos subtipos da doença. Alguns são seminomas, não seminomas – frequentes na adolescência – ou carcinoma in situ, e todos esses ainda possuem outras subdivisões.

    Da mesma forma, as células germinativas no organismo feminino se dividem em tipos mais comuns. Teratomas, disgerminomas, tumores do seio endodérmico e coriocarcinomas são alguns deles. E a doença maligna pode ser uma mistura de mais de um subtipo.

    Quais os tipos de tratamento?

    Toda essa variedade de subtipos e combinações faz com que seja necessário traçar estratégias de tratamento individualizadas. A abordagem medicinal deve levar em consideração a origem, idade, tipo histológico, além da ressecabilidade e estadiamento que são análises de comportamento do tumor.

    Em grande parte dos casos, a cirurgia acaba sendo a base do tratamento, principalmente em tumores de fase inicial. Todavia, a quimioterapia pode ser recomendada em casos de tumores avançados ou como complemento da cirurgia.  

    A boa notícia é que o avanço no tratamento fez com que pacientes diagnosticados precocemente tenham resultados bem positivos. Levantamentos apontam que a doença maligna pode chegar até 90% de sobrevida. O diagnóstico precoce é uma das ferramentas mais importantes para a redução de mortes causadas pelo câncer. É buscando atuar efetivamente nesses índices que o Programa Diagnóstico Precoce, do Instituto Ronald McDonald, já capacitou cerca de 26 mil profissionais da saúde para identificar os primeiros sintomas do câncer infantojuvenil.

    Você pode conhecer todos os números deste trabalho no nosso site!

    Leia mais no blog

    IRM Histórias

    • overlay

      Mariele Costa da Silva

      X

      A história de Mariele é muito especial, pois ela foi uma das primeiras crianças a usufruir da Casa Ronald McDonald Belém, uma casa de apoio feita com muito carinho para receber pacientes que chegam à capital do Pará para tratamento. Vale lembrar que, segundo dados do Inca (Instituto Nacional d... (Continuar lendo sobre Mariele Costa da Silva)

    • overlay

      Maria Vitória Gomes Ferreira

      X

      Maria Vitória tem apenas 11 anos, mas já passou por muita coisa na vida. Quando tinha apenas cinco aninhos foi diagnosticada com um tumor cerebral. Ela teve que mudar radicalmente sua rotina. Saiu do pequeno município de Rio Crespo, em Rondônia, no norte do país, para uma grande cidade com o... (Continuar lendo sobre Maria Vitória Gomes Ferreira)

    • overlay

      Ítalo Derick Cortez Paes

      X

      Quem vê um rapaz deste tamanho nem imagina que ele tem apenas 14 anos. O olhar e o sorriso são de um jovem que em breve estará livre do câncer! E olha só: já está até comemorando com o V da Vitória. Ítalo foi diagnosticado com leucemia mieloide aguda em 2017. Ele fez o tratamento lá em... (Continuar lendo sobre Ítalo Derick Cortez Paes)

    • overlay

      Wenddy Silva

      X

      Wenddy Silva, natural de Macapá, tem 6 anos e é portadora de Leucemia Linfocítica Aguda. É hóspede da Casa Ronald McDonald em Jahu há seis meses para realização de transplante de medula óssea no Hospital Amaral Carvalho. “Aqui na Casa Ronald McDonald eu adoro brincar na sala de recrea... (Continuar lendo sobre Wenddy Silva)

    • overlay

      GABRIELE LIMA

      X

      Gabriele de Lima tem 16 anos e é portadora de Osteosarcoma. Está em tratamento a 5 anos e hospedada na Casa Ronald McDonald ABC a 5 meses. A jovem adora os passeios que realiza na Casa, as atividades de artesanato e a interação com os voluntários. "Gostaria de agradecer a todos os colaboradore... (Continuar lendo sobre GABRIELE LIMA)

    • overlay

      RICK DEIVID

      X

      Rick Deivid Ferreira tem 12 anos e é portador de Leucemia. Está em tratamento há 10 meses. Torcedor do Vaso da Gama, Rick sonha em ser jogador de futebol.

      “Nesses 10 meses que eu venho para o hospital sempre fico aqui. No Espa... (Continuar lendo sobre RICK DEIVID)

    • overlay

      NATALI GOMES

      X

      Natali Gomes tem 23 anos, é ex-paciente e voluntária na Casa Ronald McDonald Moema na área de visitas. Um dos seus sonhos é ajudar voluntariamente crianças que vivem em orfanatos.

      "Recebi meu diagnóstico de aplasia de medula ... (Continuar lendo sobre NATALI GOMES)

    • overlay

      JULIA MORENO

      X

      Julia Moreno tem 8 anos e está em tratamento, por um período indeterminado, contra uma mielodisplasia e glicogenose hepática 1B. Desde novembro de 2014, Julia é hospede da Casa Ronald McDonald Campinas. Para sua Mãe, Milena Pereira, a experiência na Casa Ronald McDonald se resume a um excelen... (Continuar lendo sobre JULIA MORENO)

    • overlay

      FAMÍLIA AMORIM

      X

      Emocionante história de uma mulher guerreira, que com muita doçura lutou, batalhou e venceu o câncer da sua filha: uma menina de 7 anos, diagnosticada com câncer aos três. Em 2013, Michele e Renata, mãe e filha, foram as estrelas da campanha McDia Feliz. Para qualquer família, enfrentar um d... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA AMORIM)

    • overlay

      FAMÍLIA NEVES

      X

      A história da Família Neves começou com a história de uma família comum: pai, mãe e dois filhos que viviam no bairro da Tijuca e levavam uma vida tradicional. Trabalho, escola, lazer no Tijuca Tênis Clube e futebol com a torcida pelo Vasco da Gama. Mas esta história começou a tomar um novo ... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA NEVES)

    • overlay

      MARIANA BICALHO

      X

      Mariana Bicalho, hoje com 7 anos de idade, se recuperou totalmente após um ano e meio de tratamento contra um câncer renal. Moradora da cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Em 2010, quando tinha apenas dois anos de idade, Mariana desenvolveu um nefroblastoma, q... (Continuar lendo sobre MARIANA BICALHO)

    • overlay

      LAUDINE ROQUE

      X

      Em julho de 2005, quando a Laudine Roque tinha 13 anos, ela foi diagnosticada com Leucemia. O período principal do tratamento durou cerca de 4 meses no Hemorio. À época, Laudine residia no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, próximo a Casa Ronald McDonald Rio de Janeiro, onde teve oportunidade ... (Continuar lendo sobre LAUDINE ROQUE)

    Conheça as

    Famílias

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

    Inscreva-se para receber todas as atualizações do Instituto Ronald McDonald