close.png

Newsletter SignUp

Inscreva-se no nosso eNewsletter para ler histórias inspiradoras de nossas famílias e aprenda como seu apoio ajuda as crianças a se curarem.

  •  
  • Erro

    Não foi possível recuperar seus dados devido a um erro.

  • close.png thank_you.png
    OBRIGADO POR INSCREVER-SE

    Estamos muito satisfeitos por você ter decidido se juntar à nossa família. Hoje, você se juntou a um movimento global que permite que as famílias se concentrem no que é mais importante - o filho doente - enquanto cuidamos do resto!

    Seus amigos na Ronald McDonald House Charities
     

    3 dicas para sentir, superar e lidar bem com a saudade

    Muitas vezes me pego olhando para os meninos e pensando quando eu tinha a idade deles. As lembranças vêm como uma enxurrada e inundam o coração de saudade. Dá aquela vontade de ter uma máquina do tempo e me teletransportar, momentaneamente, para o abraço da minha mãe, para o quintal da minha primeira casa, para os churrascos de família…


    A saudade é uma expressão da natureza humana tão importante que tem até uma data especial para celebrá-la: dia 30 de janeiro.

    Dizem que é o sentimento mais presente em nossa vida e o mais difícil de definir. Afinal, não é fácil escolher do que sentimos mais saudade. Eu mesma sinto saudade de coisas tão subjetivas como, por exemplo, o cheiro que ficava na casa quando minha mãe cozinhava. Ou quando eu acariciava o cabelo dos meus filhos enquanto eles adormeciam ouvindo histórias que eu contava.

    A saudade é um bom sinal

    Muitas pessoas acham que sentir saudade é triste e melancólico, mas nem sempre. De fato a saudade às vezes dói e nos deixa quase paralisados, entretanto, é um sinal de que vivemos momentos bons.

    A verdade é que a saudade nos obriga a aprender, e aprender nem sempre é um processo tranquilo. Em algumas ocasiões conseguimos sanar a aflição da ausência com um telefonema, uma viagem, um passeio, mas é bem verdade que muitas vezes não é possível. Há coisas, momentos e pessoas que não voltam nunca mais, e por mais triste que isso seja, é preciso seguir em frente.

    Não existe uma receita para deixar a saudade para trás, mas algumas atitudes podem ajudar. Quando a ausência é irremediável, bom…é aí mesmo que precisamos encontrar formas de superar e acalmar o coração.

    Que tal começar pelo começo?

    Viva a dor. A felicidade é uma delícia e não há quem não goste de curtir momentos de alegria, já da dor todo mundo foge. No entanto, assim como a felicidade, a tristeza faz parte da vida e cumpre um papel importante em nosso desenvolvimento. Por isso, não se culpe ou se feche para a dor, mas se permita atravessá-la. Se preciso for, chore. Chorar é uma reação natural do nosso corpo para aliviar a tensão e reorganizar os sentimentos. Respire fundo, se hidrate e deixe os dias suavizarem o aperto no peito.

    O tempo transformará as emoções aos poucos. Não significa que serão menores, mas, certamente, aprendemos a conviver com elas e ressignificá-las. Durante este processo, que pode durar dias ou anos, tente cuidar de você e do seu bem-estar.

    Mude o foco. Tente ocupar a mente com o que te faz bem. Faça passeios legais, divirta-se, esteja sempre com os amigos e com quem você ama. Experimente fazer dessa fase complicada um momento de autoconhecimento e autocuidado. Já pensou em cozinhar aquela comida que você adora, mas tem um pouco de preguiça? Ou então, investir naquele pote de sorvete que sempre salva nas horas certas?

    É claro que precisamos tomar cuidado para que essas práticas não se tornem hábitos não saudáveis de vida. Ao fazer delas válvulas de escapes constantes é certo que problemas futuros surgirão, e pode ser necessário a ajuda de um profissional. Experimente viver intensamente o agora, sem se preocupar muito com o passado e o futuro. A prática do mindfulness pode te ajudar muito – já falei dela aqui no Blog.

    Agradeça a saudade. Tente olhar o lado positivo da saudade. Ela é um sinal claro que de você tem muito ao que agradecer. Gratidão é um sentimento muito forte que nos leva a viver cada vez mais coisas que nos façam sorrir. A saudade é inevitável, mas significa que vivemos histórias incríveis ao lado de pessoas inesquecíveis. Se você tem no coração esse sentimento de nostalgia que te faz viajar no tempo, que tal olhar para ele com muito orgulho?

    A vida vai sempre te dar motivos para sofrer de saudade. Que bom! Isso é sinal de que você anda aproveitando muito bem os seus dias. As despedidas, as mudanças, os sofrimentos, as separações, o tempo que passa vão continuar acontecendo e não há muito o que possamos fazer. Aprender a encarar esses desafios como aprendizado faz parte do desenvolvimento da sua inteligência emocional.

    Tente aceitar que, como diz Vinicius de Moraes, “a vida é arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida”.

    Gostou do assunto? Veja todas as nossas dicas de bem-estar para crianças e adolescentes com câncer.

    Leia mais no blog

    IRM Histórias

    • overlay

      Mariele Costa da Silva

      X

      A história de Mariele é muito especial, pois ela foi uma das primeiras crianças a usufruir da Casa Ronald McDonald Belém, uma casa de apoio feita com muito carinho para receber pacientes que chegam à capital do Pará para tratamento. Vale lembrar que, segundo dados do Inca (Instituto Nacional d... (Continuar lendo sobre Mariele Costa da Silva)

    • overlay

      Maria Vitória Gomes Ferreira

      X

      Maria Vitória tem apenas 11 anos, mas já passou por muita coisa na vida. Quando tinha apenas cinco aninhos foi diagnosticada com um tumor cerebral. Ela teve que mudar radicalmente sua rotina. Saiu do pequeno município de Rio Crespo, em Rondônia, no norte do país, para uma grande cidade com o... (Continuar lendo sobre Maria Vitória Gomes Ferreira)

    • overlay

      Ítalo Derick Cortez Paes

      X

      Quem vê um rapaz deste tamanho nem imagina que ele tem apenas 14 anos. O olhar e o sorriso são de um jovem que em breve estará livre do câncer! E olha só: já está até comemorando com o V da Vitória. Ítalo foi diagnosticado com leucemia mieloide aguda em 2017. Ele fez o tratamento lá em... (Continuar lendo sobre Ítalo Derick Cortez Paes)

    • overlay

      Wenddy Silva

      X

      Wenddy Silva, natural de Macapá, tem 6 anos e é portadora de Leucemia Linfocítica Aguda. É hóspede da Casa Ronald McDonald em Jahu há seis meses para realização de transplante de medula óssea no Hospital Amaral Carvalho. “Aqui na Casa Ronald McDonald eu adoro brincar na sala de recrea... (Continuar lendo sobre Wenddy Silva)

    • overlay

      GABRIELE LIMA

      X

      Gabriele de Lima tem 16 anos e é portadora de Osteosarcoma. Está em tratamento a 5 anos e hospedada na Casa Ronald McDonald ABC a 5 meses. A jovem adora os passeios que realiza na Casa, as atividades de artesanato e a interação com os voluntários. "Gostaria de agradecer a todos os colaboradore... (Continuar lendo sobre GABRIELE LIMA)

    • overlay

      RICK DEIVID

      X

      Rick Deivid Ferreira tem 12 anos e é portador de Leucemia. Está em tratamento há 10 meses. Torcedor do Vaso da Gama, Rick sonha em ser jogador de futebol.

      “Nesses 10 meses que eu venho para o hospital sempre fico aqui. No Espa... (Continuar lendo sobre RICK DEIVID)

    • overlay

      NATALI GOMES

      X

      Natali Gomes tem 23 anos, é ex-paciente e voluntária na Casa Ronald McDonald Moema na área de visitas. Um dos seus sonhos é ajudar voluntariamente crianças que vivem em orfanatos.

      "Recebi meu diagnóstico de aplasia de medula ... (Continuar lendo sobre NATALI GOMES)

    • overlay

      JULIA MORENO

      X

      Julia Moreno tem 8 anos e está em tratamento, por um período indeterminado, contra uma mielodisplasia e glicogenose hepática 1B. Desde novembro de 2014, Julia é hospede da Casa Ronald McDonald Campinas. Para sua Mãe, Milena Pereira, a experiência na Casa Ronald McDonald se resume a um excelen... (Continuar lendo sobre JULIA MORENO)

    • overlay

      FAMÍLIA AMORIM

      X

      Emocionante história de uma mulher guerreira, que com muita doçura lutou, batalhou e venceu o câncer da sua filha: uma menina de 7 anos, diagnosticada com câncer aos três. Em 2013, Michele e Renata, mãe e filha, foram as estrelas da campanha McDia Feliz. Para qualquer família, enfrentar um d... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA AMORIM)

    • overlay

      FAMÍLIA NEVES

      X

      A história da Família Neves começou com a história de uma família comum: pai, mãe e dois filhos que viviam no bairro da Tijuca e levavam uma vida tradicional. Trabalho, escola, lazer no Tijuca Tênis Clube e futebol com a torcida pelo Vasco da Gama. Mas esta história começou a tomar um novo ... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA NEVES)

    • overlay

      MARIANA BICALHO

      X

      Mariana Bicalho, hoje com 7 anos de idade, se recuperou totalmente após um ano e meio de tratamento contra um câncer renal. Moradora da cidade de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Em 2010, quando tinha apenas dois anos de idade, Mariana desenvolveu um nefroblastoma, q... (Continuar lendo sobre MARIANA BICALHO)

    • overlay

      LAUDINE ROQUE

      X

      Em julho de 2005, quando a Laudine Roque tinha 13 anos, ela foi diagnosticada com Leucemia. O período principal do tratamento durou cerca de 4 meses no Hemorio. À época, Laudine residia no bairro da Tijuca, no Rio de Janeiro, próximo a Casa Ronald McDonald Rio de Janeiro, onde teve oportunidade ... (Continuar lendo sobre LAUDINE ROQUE)

    Conheça as

    Famílias

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

    Inscreva-se para receber todas as atualizações do Instituto Ronald McDonald