close.png

Newsletter SignUp

Inscreva-se no nosso eNewsletter para ler histórias inspiradoras de nossas famílias e aprenda como seu apoio ajuda as crianças a se curarem.

  •  
  • Erro

    Não foi possível recuperar seus dados devido a um erro.

  • close.png thank_you.png
    OBRIGADO POR INSCREVER-SE

    Estamos muito satisfeitos por você ter decidido se juntar à nossa família. Hoje, você se juntou a um movimento global que permite que as famílias se concentrem no que é mais importante - o filho doente - enquanto cuidamos do resto!

    Seus amigos na Ronald McDonald House Charities
     

    O diagnóstico precoce em histórias de câncer infantil

    Histórias de vida são curiosas. Algumas tinham tudo para ser muito diferentes, mas acabam tendo vários pontos em comum. Outras, podem ser iguais, contudo acabam tomando rumos completamente opostos. Saiba como duas meninas tiveram seus caminhos cruzados abaixo.


    E a vida, ardilosamente, se dedica a promover os encontros dessas pessoas que poderiam nunca se esbarrar.

    O GRAACC, assim como os programa Casa Ronald McDonald, é um desses lugares repletos de encontros.

    Foi na Casa Ronald McDonald de Moema que conheci Natasha. Na “casinha”, como ela, carinhosamente, chama a casa de apoio a famílias cujos filhos têm câncer. Uma menina estilosa, com um turbante rosa super moderno na cabeça. Natasha tem 15 anos e mora em Manaus, capital do Amazonas. Há mais de 1 ano, ela e a mãe vivem em São Paulo para tratar o osteossarcoma descoberto em 2017.

    Antes de chegar ao GRAACC, Natasha ouviu muitos diagnósticos sobre sua doença. Foi e voltou para casa algumas vezes sem saber de que tipo de ajuda seu corpo precisava. Ela conta que tudo começou com uma dor no braço em fevereiro de 2017.

    “Eu sentia dor, mas era suportável. Depois de uns dois meses é que fomos procurar um médico”.

    Sem saber o que a filha tinha, Suelange foi batendo de porta em porta para encontrar a resposta. Foi preciso a interferência de um tio para encontrar um médico atento aos sintomas de Natasha.

    Os exames confirmaram: câncer.

    Com o resultado na mão, o primeiro desafio foi driblar o tempo. Como Natasha já estava há algum tempo demonstrando os sintomas e não teve um diagnóstico precoce, era preciso agir ainda mais rápido.

    Começou o tratamento em Manaus, mas, infelizmente, a falta de recursos do hospital acendeu o sinal vermelho. Orientada, a mãe pediu transferência para um hospital de São Paulo.

    “Nesse primeiro hospital que chegamos não nos sentimos bem, nem eu, nem minha mãe. Acabamos indo para o GRAACC depois da recomendação de uma pessoa que conhecemos.”

    Foi então que chegou ao GRAACC, hospital de referência no atendimento oncológico de crianças e adolescentes. De lá pra cá a luta é diária.

    Histórias cruzadas

    A pequena Erika passou pela mesma batalha. Os sintomas eram outros, ainda mais comuns na infância: dor de garganta, febre e dor na barriga. A primeira impressão era de que seria uma virose simples, mas o surgimento de nódulos na barriga despertaram o olhar do médico que a atendeu. A orientação para a família era clara: Erika precisa de um tratamento oncológico.

    O olhar apurado e a agilidade do médico fez toda a diferença para apontar o diagnóstico precoce que mudou a história da pequena Erika. Hoje, com 7 meses de tratamento, ela já está voltando para a casa.

    Foram dias turbulentos, muitas mudanças e aflições, mas uma reação positiva do organismo da menina. Ela ainda não está completamente curada, mas o câncer já não maltrata o coração da mãe. Hoje, acreditam juntas que esta guerra está chegando ao fim.

    Uma no Norte do país, outra no Sudeste. Uma adolescente, a outra uma criança. Entre elas, a diferença na velocidade do diagnóstico. Ambas apoiadas por programas do Instituto Ronald McDonald. Mas sabe onde a história de Erika e Natasha se encontram de verdade? Na vontade e disposição de lutar pela vida. Elas vão vencer o câncer.

    Leia mais no blog

    IRM Histórias

    • overlay

      Mariele Costa da Silva

      X

      A história de Mariele é muito especial, pois ela foi uma das primeiras crianças a usufruir da Casa Ronald McDonald Belém, uma casa de apoio feita com muito carinho para receber pacientes que chegam à capital do Pará para tratamento. Vale lembrar que, segundo dados do Inca (Instituto Nacional d... (Continuar lendo sobre Mariele Costa da Silva)

    • overlay

      JULIA FARIA

      X

      Em 2008, Julia Moreno Faria, hoje com 13 anos (2021), foi diagnosticada com glicogenose hepática 1B. Em 2014, um novo diagnóstico: mielodisplasia. Julia, apesar de ser nascida no Rio de Janeiro, é hospede da Casa Ronald McDonald Campinas, no interior de São Paulo, e ainda continua seu tratamento... (Continuar lendo sobre JULIA FARIA)

    • overlay

      FAMÍLIA NEVES

      X

      A história da Família Neves começou com a história de uma família comum: pai, mãe e dois filhos que viviam no bairro da Tijuca e levavam uma vida tradicional. Trabalho, escola, lazer no Tijuca Tênis Clube e futebol com a torcida pelo Vasco da Gama. Mas esta história começou a tomar um novo ... (Continuar lendo sobre FAMÍLIA NEVES)

    • overlay

      Maria Vitória Gomes Ferreira

      X

      Maria Vitória tem apenas 11 anos, mas já passou por muita coisa na vida. Quando tinha apenas cinco aninhos foi diagnosticada com um tumor cerebral. Ela teve que mudar radicalmente sua rotina. Saiu do pequeno município de Rio Crespo, em Rondônia, no norte do país, para uma grande cidade com o... (Continuar lendo sobre Maria Vitória Gomes Ferreira)

    • overlay

      JUAN YURE

      X

      Da cidade de Fortaleza, no Ceará, Juan Yure Carneiro das Chagas, com apenas 12 anos (2021), já enfrentou obstáculos que poderiam desestruturar qualquer pessoa adulta. Depois de uma inocente brincadeira entre amigos, Juan, ainda com seis anos, descobriu uma alteração no osso femoral. A partir de... (Continuar lendo sobre JUAN YURE)

    • overlay

      MACISTER JUSTINO

      X

      Aos 17 anos, com um caderno de desenhos e lápis de cor nas mãos, Macister Junior Justino chegou na Casa Ronald McDonald Campinas, umas das sete unidades do Programa Casa Ronald McDonald em operação no Brasil. O jovem foi diagnosticado com Linfoma de Hodgkin – um câncer no sistema linfático -... (Continuar lendo sobre MACISTER JUSTINO)

    • overlay

      HELOISA GEMELLI

      X

      Em maio de 2017, aos 14 anos, Heloisa Gemelli, de Cascavel, no Paraná, foi diagnosticada com Linfoma de Hodgkin. Seu pai, Alessandro, médico, já havia sido capacitado pelo Programa Diagnóstico Precoce do Instituto Ronald McDonald (o Programa, em 10 anos, já capacitou mais de 26 mil profissionai... (Continuar lendo sobre HELOISA GEMELLI)

    • overlay

      OSCAR E ANA BEATRIZ

      X

      Ana Beatriz, 19, andava inquieta pelos corredores do Hospital Oncológico Infantil Octávio Lobo, em Belém - PA. Ela não gostava de ficar muito tempo no quarto. Internada para fazer exames relacionados ao Teratoma de Ovário, em 2017, quando conheceu a Vilma, que estava com o filho internado. Ele,... (Continuar lendo sobre OSCAR E ANA BEATRIZ)

    • overlay

      JUAN CARLOS

      X

      Em 2011, aos 10 anos, Juan Carlos de Araújo Moreira foi diagnosticado com câncer: 10 tumores malignos e uma metástase no pulmão. Hoje, aos 18 anos, ele está curado, é estudante de técnico de informática, está no seu primeiro emprego e tem o sonho de estudar fora do país. Juan mora em Campo... (Continuar lendo sobre JUAN CARLOS)

    • overlay

      Vicente e Antônio

      X

      "Eu falo para todo mundo que meu filho foi muito bem recebido na Casa Ronald McDonald Belém. É um lugar muito organizado, que nos recebeu de braços abertos. Estou muito feliz de estar aqui com ele". O relato emocionado é do Vicente Nascimento, pai do Antônio Márcio Nascimento, de 13 anos, q... (Continuar lendo sobre Vicente e Antônio)

    Conheça as

    Famílias

    FIQUE POR DENTRO DAS NOVIDADES

    Inscreva-se para receber todas as atualizações do Instituto Ronald McDonald