Programa Atenção Integral: um trabalho consistente

Trabalhar de forma consistente, com coerência, organização e responsabilidade social deveria ser meta diária em empresas públicas e privadas de grande, médio e pequeno porte. Esta é a missão do Instituto Ronald McDonald. Abaixo falaremos sobre um dos nossos programas: atenção integral.


Nesse contexto tão familiar, observar de perto o funcionamento do Terceiro Setor é “uma boa pedida” para os gestores que buscam inspiração em suas decisões.

Foi algo que funcionou comigo, quando fui apresentado ao Programa Atenção Integral, do Instituto Ronald McDonald.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Black Friday do bem: esbanjando solidariedade

Estava lendo os e-mails de promoção da Black Friday e fiquei me perguntando: porque a gente está sempre gastando dinheiro com as mesmas coisas? São sapatos, roupas, perfumes, eletrônicos… E poderíamos estar investindo em muito mais.


Não estou dizendo que comprar é ruim. Afinal, todo mundo sabe como é bom ter um celular novo que não trava.

Só acho que, às vezes, podemos ser mais criativos na hora de consumir nosso dinheiro.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Pequeno grande Everton, o menino que luta contra o câncer

O pequeno Everton pode ter poucos anos, mas sua história de força e superação é impossível de esquecer. Escuta só esse relato vencedor contra o câncer.


Semana passada eu acordei com o maior incômodo no olho. Lavei bem meu rosto no banho, joguei um colírio e fui trabalhar. “Não há de ser nada demais”, imaginei.

Na manhã seguinte, o olho estava não só incomodando, mas bem vermelho. “Que baita cisco esse deve ter sido”, eu pensava, enquanto combinava uma compressa, mais colírio, e um óculos para disfarçar.

Quando acordei no terceiro dia, já mal conseguia abri-lo totalmente. Só então decidi ir ao médico, e descobri que o baita cisco era, na verdade, uma baita conjuntivite.

Longe de mim fazer qualquer tipo de comparação entre a gravidade dessas doenças, mas ao sair do oftalmologista, me lembrei imediatamente do Everton, um menino cuja mãe eu conheci uma vez, durante um dia de voluntariado numa casa de apoio.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Beneficente em todos os sentidos

No mundo dos negócios, um jantar especial pode ser a oportunidade perfeita para decisões estratégicas – isso não é de hoje, muito menos se restringe a quem lidera uma empresa privada.


Gerações e gerações de empresários, executivos entre outros profissionais têm a mesa – e umas boas taças de vinho – como aliadas de seus empreendimentos.

É por isso que os jantares beneficentes organizados por instituições sérias do Terceiro Setor são triplamente interessantes. Assim como o do Instituto Ronald McDonald é.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Benefícios fiscais de se adotar instituições com foco em saúde

Trabalho com comunicação institucional faz alguns bons anos e, em minha trajetória, não tinha visto período mais fértil para inovar na empresa como o que vivemos agora, principalmente quanto a parcerias. Hoje quero abordar os benefícios fiscais de se apostar em voluntariado empresarial. Continue lendo para entender:


A partir do momento que compreendi a potência do Marketing Social nesse novo contexto, logo comecei a estudar como viabilizar, do ponto de vista financeiro, o apoio ao Instituto Ronald McDonald – organização que minha equipe e eu escolhemos adotar, cuja causa e atuação estavam bem alinhadas aos nossos valores e propósitos.

Nessa sucessão de pesquisa, descobri que além de contribuir para uma causa em que acreditamos, ainda podemos aproveitar dos benefícios fiscais para empresas que apoiam causas sociais.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

O cotidiano de um voluntário

Outro dia eu tava trocando uma ideia com um amigo meu sobre como é ser voluntário. Ele sabe que eu sou e, como tem pensado cada dia mais em se tornar um também, me procurou para que eu pudesse ajudar com algumas dúvidas que ele tem.


Ele me contou que sente muita vontade de botar a mão na massa e contribuir para um mundo melhor fora da internet, mas que sente um grande receio de acabar preso a uma atividade que ele não gosta ou não domina, em horários com os quais não pode se comprometer.

Foi aí que eu resolvi desfazer essas impressões erradas, falando um pouco mais sobre como foi o processo de me tornar um voluntário e sobre o nosso dia a dia.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Myrella e seus conselhos de gente grande

Myrella desde cedo precisou entender que, às vezes, crianças precisam ser gente grande — especialmente quando se veem de frente para uma doença que até então parecia de adulto. Conheça a história da menina abaixo e, caso queira, informe-se sobre o Instituto Ronald McDonald.


Como adoro ver meus filhos aprendendo coisas novas, principalmente lições que eu procuro passar!

Conforme eles crescem e vão demonstrando mais segurança em suas escolhas, a gente se sente tão satisfeita, tão completa…

Mas maternidade não é via de mão única. Eles também nos ensinam, e muito, inclusive nas circunstâncias que a gente menos espera.

Conhecer a história da Myrella e sua mãe, Aline, renovou minhas crenças quanto à força e ao otimismo que nossos filhos são capazes de nos passar, às vezes sem nem saber e quando mais precisamos.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

3 dicas para escolher uma instituição de confiança para doar

A vontade de ajudar o próximo existe dentro de todos nós, mas nem sempre ela tem força o suficiente para se transformar em ação. Faz pouco tempo, descobri que isso se deve muito mais ao nosso desconhecimento sobre como e para quem doar, do que falta de tempo ou de recursos financeiros.

Nós precisamos entender que doação é coisa séria – um equilíbrio entre razão e emoção. Já parou para pensar nisso?

Quando comecei a buscar mais informação sobre a questão, me dei conta de que a solidariedade não se resume a atitudes pontuais, isoladas, mas é capaz, realmente, de melhorar nossa sociedade.

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar:

Mães, mulheres, guerreiras

Coração de mãe – e de pai – é grande mesmo, né? Ou melhor, enorme, cheio de perdão e de uma espécie de força oculta que se revela nos momentos mais difíceis. Antes de me tornar mãe, até suspeitava disso, mas a certeza veio só depois de ter meu primeiro filho. Voltei a pensar muito sobre isso ao saber da história da Zélia, mãe hospedada na Casa Ronald McDonald Campinas, apoiada pelo Instituto Ronald McDonald, durante o tratamento do Eduardo, de apenas 11 meses.

 Pois é. Dudu era pequeno quando ela desconfiou que tinha algo errado. Foi dar um banho e percebeu um carocinho no braço. Correu para o pediatra do posto mais próximo, que acreditava se tratar da reação a uma vacina, e pediu que Zélia aguardasse mais um pouco… Mas sabe aquela pulga atrás da orelha?

Leia mais →
Comentários: 0 / Compartilhar: